ÚLTIMAS NOTÍCIAS / X Conferência de Assistência Social

X CONFERÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL ESPERA FORTALECER DIREITOS DO CIDADÃO

Segunda-feira, 10 de julho de 2017

Visualizada 77 vezes

Tema: Garantia de Direitos no Fortalecimento do SUAS


Será realizada nesta terça-feira, 11, a X Conferência Municipal de Assistência Social, no Salão de Múltiplo-Uso, em São Jorge do Patrocínio. O tema "Garantia de Direitos no Fortalecimento do SUAS" direcionará a pauta de discussões, que deve contar com a participação de todos os setores da sociedade, assim como a XIII Conferência de Saúde, realizada na semana passada. Segundo a secretária de Assistência Social Lilian da Cruz Gouveia, a participação de toda a comunidade, manifestando suas opiniões, ajudará a formular a Política da Assistência Social do município. "Temos que ter um trabalho direcionado e, muitas vezes, interssetorial, para garantir o fortalecimento de nossa rede de atendimento socioassistencial", avaliou Lilian. Em entrevista, a secretária se diz confiante na atuação da equipe do CRAS - Centro de Referência da Assitência Social, principal unidade de atendimento do setor, que realiza os cadastramentos de famílias e encaminha os casos atendidos de acordo com sua complexidade. Também destaca as diversas ações que vem sendo realizadas nestes seis meses. "São várias ações, entre elas, o Espaço Criança, que acolhe cerca de 190 crianças e adolescentes, com fortalecimento de vínculo, oficinas, esportes, música, informática, capoeira entre outros. Também destacamos o trabalho realizado com o Grupo de Melhor Idade, que a partir deste ano está representado pelo Conselho Municipal da Pessoa Idosa, além das diversas campanhas realizadas", declarou Lilian. Acompanhe a entrevista da secretária Lilian da Cruz Gouveia:

01 – Qual o maior fator de vulnerabilidade social no município?

Basicamente a vulnerabilidade social não corresponde apenas a baixo poder aquisitivo da família ou individuo, mas fatores psicossociais, jurídicos e situações de risco que também corresponde a este fator. Vulnerabilidade geralmente envolve, além da precariedade da renda por um longo período de tempo, necessidades insatisfeitas em múltiplos âmbitos (escolaridade, alimentação, saúde, moradia, trabalho, transporte etc). Verificamos em nossos atendimentos algo muito preocupante: a maior vulnerabilidade em nosso município está sendo, além falta de ofertas de emprego, a falta de continuidade nos estudo, sobretudo entre jovens. Ações pontuais nestas situações podem aumentar a autoconfiança e dar ao jovem e adolescente condições de se preparar, buscando no estudo o resgate de seus objetivos pessoais e profissionais.

02 –Quais ações estão sendo realizadas no setor nestes seis meses, que podem merecer destaque?

São várias as ações desenvolvida no município. Exemplo delas, é o Centro de Atendimento Espaço Criança, onde hoje são atendidas cerca de 190 crianças e adolescentes de 06 a 14 anos. No Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV), são desenvolvidas oficinas de Dança, Esporte, Violão, Teclado, Artes Manuais, Informática, Capoeira e grupos de convivência. Temos também o grupo da Melhor Idade, trabalho realizado duas vezes por semana exercitando a vivência em grupo, as experiências artísticas, culturais, esportivas e de lazer e a valorização destas experiências vividas. Considerando esta importância, foi também criado o Conselho Municipal da Pessoa Idosa, que pretende buscar recursos de outras esferas para melhor atendimento ao idoso. Além disso, levamos em consideração as ações desenvolvidas na centralidade da família como referência, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Outras atividades desenvolvidas pela Secretaria juntamente com o CRAS são reuniões e acompanhamento junto aos beneficiados do Bolsa Família, campanhas contra violência às crianças, adolescentes e Idosos, Campanha do Agasalho entre outras campanhas, realizadas em caráter intersetorial (Meio Ambiente, Agricultura, Saúde e Educação). Considero todas estas ações de grande importância e valia para a população sanjorgense, de forma que possamos atendê-los em todos os âmbitos de acordo com sua necessidade.

03 – A rede de atendimento na área social depende não só de recursos próprios, mas de diversos repasses e fundos, que complementam as ações. A crise econômica no país afeta de maneira mais rigorosa essas fontes de recursos? Há algum reflexo nos beneficiários do Programa Bolsa Família?

Sim. Com a crise econômica que vivenciamos, o índice de desemprego aumentou no Brasil, e em consequência, atingiu nosso município, a exemplo de tantos outros. Apenas com recursos próprios, não é possível que se execute os programas para melhor atendimento da população. Daí a importância da captação de recursos das esferas federal e estadual, por meio da elaboração de projetos e criação de fundos, como Criança e Adolescente e FMAS. Neste cenário atual, é natural a queda do valor destes repasses, e isto, entre outros fatores, gera uma "força-tarefa" na administração dos recursos existentes para diminuir custos. O desafio é fazer isso sem afetar os programas e projetos em andamento. Em relação ao  Programa Bolsa Família, até o momento não há aumento de beneficiários no programa nos últimos meses, e o repasse para pagamento de novos benefícios não sofreu maiores impactos.

04- Em 2011, uma pesquisa do IPARDES (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social) apontou São Jorge do Patrocínio como o município que mais reduziu a pobreza no Estado. O modelo de gestão atual alcançaria estes resultados nos dias de hoje, independente de outros fatores?

Sim, é possível. A atual administração se empenha e tem como meta trazer ao município mais empresas para a geração de emprego e renda, como também apoio à agricultura familiar e o comércio local. Nós da Assistência Social, fazemos nossa parte, em busca de cursos profissionalizantes e capacitação. O desafio é fazer com que aqueles que não têm emprego, se especializem para que estejam aptos para ingressarem no mercado de trabalho, sobretudo os que vivem em situação de vulnerabilidade.

05 – O que esperar como resultado da X Conferência Municipal Assistência Social na cidade, no âmbito da consolidação do SUAS?

Para um bom resultado, é preciso a participação da população em geral, manifestando suas opiniões, indicando novas ações e ajudando a formular a Política da Assistência Social do Município. A Conferência é um canal direto entre os anseios da comunidade e o Poder Público, de modo que haja sintonia entre as propostas, de acordo com a realidade. É fundamental que este processo contemple as diretrizes estabelecidas pelo SUAS - Sistema Único de Assistência Social, que cria modelos bastante eficazes de atendimento socioassistencial nos municípios.

06 – Algumas considerações finais.

Nosso órgão gestor, juntamente com a equipe do CRAS têm desenvolvido uma atuação junto as famílias de grande importância, por meio das visitas domiciliares e trabalhando com as mesmas a auto confiança no seu desenvolvimento, crescimento e respeito junto à sociedade. O nosso objetivo é resgatar a cidadania, desenvolvendo atividades que caracterizam o seu crescimento e a consciência de suas capacidades. Aliado a isso, a execução dos programas sociais e a captação de recursos por meio de projetos de melhoria de atendimento serão nosso principal fator gerador de desenvolvimento social e acompanhamento das nossas famílias. Esperamos poder contar sempre com a colaboração das instituições, trabalhando com responsabilidade e sobretudo, respeito às pessoas.

A Secretária de Assistência Social Lilian da Cruz Gouveia Equipe de CRAS: Paula, Fernanda, Maria Edna, Maria Alice e Rosângela

Baixe Aqui

Fonte: Secretaria da Assistência Social

 Galeria de Fotos

 Outras Notícias