So Jorge inicia programa de Educao Ambiental para implantao da coleta de resduos orgnicos

Quinta-feira, 08 de agosto de 2013

Última Modificação: // | Visualizada 505 vezes


Ouvir matéria

Iniciou-se nos dias 05 e 06 de agosto de 2013, um programa de Educação Ambiental promovido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente em parceria com o Centro de Educação Infantil Padre Ernesto Pereira e CORIPA.

Foram realizadas visitas técnicas nos períodos da manhã e tarde ao aterro sanitário municipal e ao centro de reciclagem com cerca de 150 alunos com idades que variam de 05 a 12 anos. Os alunos foram acompanhados por professoras, agentes e fiscais ambientais, educadora ambiental do Coripa e Bióloga e Secretária de Meio Ambiente Élida Maiorani.

O principal objetivo do projeto é mostrar a realidade do município demonstrando os pontos positivos da coleta seletiva e também os pontos negativos, para que sejam trabalhados e melhorados através da conscientização com os alunos para que, dessa forma, atinjam os pais que são os responsáveis pela separação dos materiais.

A bióloga e secretária ressaltou a importância da separação dos resíduos nas casas demonstrando de forma prática o que pode e o que não pode ir parar na vala do aterro. Informou a todos que dentro de poucos meses será implantada a coleta dos resíduos orgânicos provenientes das casas e comércios da cidade. Os resíduos a serem coletados serão: restos de comida, cascas de frutas e legumes, folhas de verduras, casca de ovos, borra de café, erva de tererê e chimarrão, erva mate, aparas de grama e varrição. Foi também ressaltada a importância do trabalho do pessoal que realiza a coleta e a triagem desses materiais.

Através do programa espera-se conscientizar os alunos e demais população sobre a importância do ato de reciclar e também de diminuir ao máximo a produção do lixo urbano, que é um dos mais sérios problemas ambientais. “É necessário demonstrar através da prática como fizemos, que a reciclagem reduz o uso de matéria prima, a poluição do ambiente, melhora a saúde pública e aumenta a vida útil do aterro sanitário”concluiu a bióloga. 

 Galeria de Fotos

 Veja Também